Arquivo da tag: receitas

Esfirras semi integrais de legumes [vegan]

Eu ando meio que caindo nas receitas vegan sem querer.  A de hoje é uma esfirra [ou esfiha, tanto faz] semi integral com recheio de legumes. Não aguentei e comi uma depois que fiz, ficaram enormes e deliciosas hahahhaa  Da próxima vez eu faço menorzinhas.  :~

É importante fazer primeiro o recheio, e pra ele ficar bem saboroso, eu usei:
– Tomate;
– Alho;
– Chuchu;
– Beterraba;
– Abobrinha;
– Salsinha;
– Pitada de sal (opcional)

DSC_2677

Refoguei tudo na panela, como se fosse fazer um cozidinho e deixei cozinhar bem. Pode ser amassado com o garfo, mas eu preferi deixar em pedacinhos. Fica assim:

DSC_2678

 

Hora de fazer a massa. É bem simples e deve ser feita à mão.

– 1 sachê de fermento químico (o que a gente normalmente usa, o do potinho vermelho, é biológico. O químico é para pães, massas… e é encontrado facilmente em tabletes ou sachês. A receita original fala em tablete, mas eu naõ tinha nessa apresentação. Dá certo igual)
– Meia colher de sopa de açúcar (usei demerara)
– Meia colher de sopa de sal
– Meia xícara de chá (200ml) de óleo de girassol (ou outro vegetal)
– Uma xícara de água morna
– Farinha até que dê ponto. Usei duas xícaras de farinha integral e uma de farinha branca, depois fui acrescentando aos poucos farinha branca com a mão mesmo.

DSC_2680

Esse é o fermento. Cobri a marca porque não sou obrigada a fazer propaganda hahahah
Esse é o fermento. Cobri a marca porque não sou obrigada a fazer propaganda hahahah

1. Misture o fermento e o açúcar

DSC_2683

2. Coloque os ingredientes líquidos e o sal

DSC_2684

3. Coloque aos poucos as duas xícaras de farinha integral e uma de farinha branca e vá misturando. Tem que colocar a mão na massa, mesmo

DSC_2685

4. Esse é o ponto: Desgruda da tigela e da mão com facilidade. Agora, é importante ser ágil. Por causa do fermento, a massa cresce super rápido.

DSC_2687

5. Polvilhe farinha em uma mesa limpa e lisa e faça bolinhas.

DSC_2688

6. Abra essas bolinhas de maneira que a massa fique uniforme e não muito fina (meio centímetro tá bom)

DSC_2689

7. Recheie e feche a esfirra juntando os dois lados da massa com a parte de baixo, fazendo uma troxinha. Feche bem pro recheio não escorrer. Como eu sou muito amor nessa vida, fiz até um videozinho pra quem assimila mais vendo. O ideal seria gravar de cima, mas eu sou só uma, gente hahahaha

8. Leve ao forno, deixe-as um pouco separadas uma da outra. Aqui rendeu sete esfirras.. Recheei quatro com legumes, uma com frango e queijo minas, uma com queijo minas e uma com atum (essas pro ~marido~). Como ninguém ia comer tudo isso, e elas ficaram gigantes, eu congelei cruas, mesmo. Assim, só levo ao forno quando precisar.  O forno deve estar pré-aquecido e a 180°C. Mais ou menos meia hora e elas estão prontas

DSC_2692
As esfirronas prontinhas

 

foto 1
GENTE! GENTE.

Eu tava morrendo de fome e comi uma com um suquinho de laranja. MUITO boa. Dá pra variar os recheios e quem sabe fazer até uma  doce. <3 <3

 

Bolinho de carne com queijo Minas

Eu não sei como chamar essa receita, só sei que a Eduarda aprovou. A ideia inicial era um quibe, que vi no Delícias do Dudu mas não encontro aqui na cidade a farinha específica.  Então, me inspirei.

Você vai precisar de:
– 200gr de carne moída;

– ovo;
– alho;
– tomate;
– temperos diversos (usei salsinha só);
– pitadinha de sal;
– uma xícara de gérmen de trigo;
– queijo minas frescal

DSC_2762Mais simples de fazer, impossível:

1. Bata o ovo e misture à carne moída
DSC_27632. Pique a cebola, o alho, o tomate e os temperinhos grosseiramente e misture. Eu ainda coloquei suco de meio limão, além da pitadinha de sal. A intuição mandou hahahah
DSC_27643. Depois de misturado, acrescente o gérmen de trigo
DSC_27654. Misturei e abri na mão. Coloquei um pedaço de queijo Minas Frescal
DSC_2766
5. Fechei e levei ao forno até que ficasse dourado, cerca de 30 min (tem que prestar bem atenção para não deixar a carne crua). Forno a 180°C
DSC_2775
Preparei a marmitinha da Eduarda com purê de abóbora, arroz branco, feijão preto e o bolinho :D

DSC_2776E, sim, ela come tudo isso. O limão deixou com um gostinho bem especial, eu adorei (comi um haahahha).

Cupcake integral de mel com cenoura

Eu tenho uma história muito afetiva com o mel. Meu pai é muito fã e quando eu era pequena, ele usava em quase tudo. Se eu tinha gripe, era um chá de limão com mel… se eu tinha fome, ele passava mel em pãezinhos e levava ao forno, ficava uma delícia.  Esse final de semana ele me perguntou se eu já tinha dado alguma coisa com mel para a Eduarda e eu respondi que não – mel antes de um ano pode causar botulismo. Dá pra ter uma ideia do assunto aqui.
Como vô é vô, ele ficou com a ideia na cabeça de fazer algo com mel para a Eduarda. Como ela nunca experimentou, decidi fazer um cupcake integral, com tudo que ela já come, e acrescentar o mel. E ficou uma delícia.

Vocês vão precisar de:
(xícara de 200ml)

– 3 ovos;
– 1/4 xícara de chá de óleo de girassol;
– 1/2 xícara de mel;
– 1 cenoura grande ralada;
– 1 xícara de farinha de trigo integral;
– 1/2 colher de sopa de fermento em pó

DSC_27551. Bater os ovos e misturar com o mel. Dá pra fazer isso no liqui, mas eu não gosto. Parece que os liquidificadores me amaldiçoaram e TUDO que eu faço neles abatuma hahahaha
DSC_27572. Colocar a cenoura….
DSC_27583. Misturar a farinha aos poucos para não empelotar e, por último o fermento. A minha dica é fazer tudo isso com garfo. Parece que com colher fica mais fácil de empelotar (não sei se é mania…)
DSC_27594. Distribuir em forminhas de cupcake. Aqui deu seis, bem justinho
DSC_27605. Levar o forno pré-aquecido a 180°C por mais ou menos meia hora ou até que o palito de dente espetado saia limpinho
DSC_2769DSC_2772Fica realmente gostoso, fofinho e saudável. Vamos ver se a gordinha aprova amanhã!

Suflê de chuchu

Tem uma frase que fala em “dar mais que chuchu na cerca”. Acho que ele é bem verdade, porque minha sogra planta chuchu em casa e não para de colher. Ela sempre me dá uma boa quantia e agora eu estou me virando em receitas com chuchu que fujam do mais tradicional.

Ontem, fiz um suflê de chuchu, que ficou bonito e gostoso. Então, dispa-se de preconceitos em relação ao chuchu e se delicie. Vamos lá.

Você vai precisar de:

– quatro chuchus cozidos;
– 4 gemas;
– 4 claras batidas em neve;
– 2 colheres de sopa de farinha;
– 1 colher de sopa de manteiga;
– 1 colher de chá de fermento;
– cebola ralada;
– alho ralado;
– salsinha;
– orégano;
– queijo ralado;
– sal a gosto (que não costumo usar, mas né… chuchu não tem lá muito gosto)

1. Cozinhe o chuchu até que fique bem molinho. Escorra toda a água e amasse com um garfo. Depois de amassado, eu lavei bem as mãos (importante, gente) e fui espremendo as porções de modo que toda água saísse.

Berçário Municipal fotos 003
2. Misturei as gemas e a manteiga  (você pode fazer com margarina, mas aí é uma opção pessoal. Manteiga é um quaquilhão de vezes mais saudável)
Berçário Municipal fotos 005

3. A farinha, o sal e o fermento….

Berçário Municipal fotos 006

 

4. Cebola, alho, salsinha…

Berçário Municipal fotos 007

5. Misturar tudo, fica uma pasta. Incorporar delicadamente as claras em neve
Berçário Municipal fotos 008

6. Despejar numa fôrma untada e enfarinhada ou antiaderente; cobrir com queijinho ralado e orégano

Berçário Municipal fotos 009

7. Levar ao forno pré-aquecido até que fique dourado por cima, o que dá em média uns 30min. Forno a 180°C.

8. Voilà <3

Berçário Municipal fotos 010
Bonitão, né?

 

É isso! Ficou bem gostoso. Hoje sairão mais receitinhas, mas antes eu quero dar uma dica.

Eu sou péssima em fazer pão (ainda vou comprar aquelas máquinas maravilhosas panificadoras, quando sobrar tempo $$$ – olha o sonho da dona de casa), mas faço bolinhos para a Eduarda levar de lanche. É algo um pouco mais demorado, e suja muita coisa nem sempre dá tempo.  Daí hoje eu fui ao super e encontrei esse pãozinho (vantagens de cidade pequena), só com farinha de trigo, água, fermento, sal e gordura vegetal <3

foto

Hoje ela já levou um sanduichinho feito com esse pão e queijo minas frescal + iogurte natural batido com mamão + laranja. Qualquer dia desses eu posto a lancheirinha dela pra vocês.

Smash the Healthy Cake!!

Jesus, quanta poeira em um blog só!

Juro que continuo cozinhando e tenho até fotos de receitas para postar, mas está difícil. Eduarda está crescendo, engatinha, se arrasta, fica em pé segurando nos móveis, cai… Tem deixado a mamãe aqui quase sem coluna, principalmente por toda a gostosura saudável da pequena, com 10,2kg de pancinha e dobrinhas! Coisa mais linda do mundo!
Além disso, temos os preparativos para a chegada do primeiro aniversário da pequena, que completa um aninho no dia 2 de abril. Parece que foi ontem que aquela coisinha pitinininha chegou ao mundo, deixando a minha vida com outro sentido….

Um desses preparativos é o lindíssimo ensaio “Smash the cake”, onde o bebê estraçalha o bolo de aniversário para marcar a chegada de seus primeiros 365 dias. Aí vocês pensam: “Mas a Raquel tá louca da vodka a essa hora, liberando bolo doce assim pra Eduarda, sem mais nem menos”.
E eu digo: NÃAAAAAAAAAAO, NÃO ESTOU hahahha.

Quebrei muito a cabeça para fazer um bolo para o ensaio. Todo mundo me dizia: “Não, mas nem te preocupa que eles não comem o bolo! Só amassam!”. Como se eu não conhecesse a minha draguinha… eu tinha CERTEZA que ela iria comer nem que seja um pedaço. E eu estava certa.

Catei milhares de receitas e decidi fazer um naked cake. Até porque a Eduarda nunca tinha comido nada que não fossem frutas, o bolo de iogurte e os cookies de banana com aveia. Algo diferente disso não iria chamar a atenção dela. Eu precisava de frutas e de cara de bolo. Porque bagunça só com frutas ela faz o dia inteiro, e está tudo documentado. Eu queria algo que não abrisse mão dessa nova tradição mas que fosse saudável. Porque não me agrada a ideia de com um ano “liberar tudo”.

O ensaio foi no dia 15, um sábado pela manhã. No dia 14, sexta-feira, mamãe ficou até 2h da manhã na cozinha para fazer a massa do bolo, que foi montado na manhã seguinte.

Fiz uma massa de pão de ló, receita adaptada.

INGREDIENTES:

4 gemas de ovo
4 claras de ovo em neve
1 xícaras de chá de farinha de trigo
1 xícaras de chá de farinha integral
1 xícara de açúcar mascavo
1 colher (sopa) de fermento químico em pó
1 xícara de chá de Água fervente

USAR BATEDEIRA PRA NÃO MORRER DE CANSAÇO E SEM UM BRAÇO!

Bati as gemas com a água fervente até a espuma subir bastante, chegando nas bordas. Acrescentei o açúcar mascavo e bati mais um pouco. Com a batedeira ainda ligada, juntei a farinha integral e a de trigo aos poucos e deixei bater por + ou – 20 minutos. Tem que bater tudo isso, senão não dá certo, ok?
Desliguei a batedeira, coitada, e misturei as claras batidas em neve e o fermento com movimentos suaves. Despejei em uma assadeira redonda sem furo no meio, untada com manteiga (MANTEIGA, NÃO MARGARINA) e polvilhada de farinha…
Antes de colocar no forno eu dei umas batidinhas na assadeira com a massa contra a mesa. Assim, as bolhas de ar desmancham e não se corre o risco de quebrar o bolo quando desenformar.
Assei em forno quente (250°C) nos primeiros dez minutos e depois em forno médio (180°C) por mais 20. Desenformei ainda morno.

Fiz o processo duas vezes, para que o bolo tivesse duas camadas.

Com as partes do bolo feitas, parti pro recheio.

INGREDIENTES:
Dois potes de iogurte natural sem açúcar e sem sabor
Duas bandeijas de morangos
Dois potinhos de mirtilos
Algumas unidades de acerola.

Despejei um pote de iogurte natural no bolo e coloquei os morangos fatiados e os mirtilos. Coloquei alguns morangos em pé e coloquei a outra camada do bolo. Fiz o mesmo processo para a “cobertura”: um pote de iogurte e as frutas.

Obviamente, Eduarda devorou o iogurte, as frutas, pedaços da massa. O ensaio ficou lindo e eu não tive dores de cabeça.

IMG_3652

 

 

Bolinho de Espinafre, Legumes ao forno e agradecimento

Gente, faz cinco dias que não posto receita aqui! Que feio! hahahaha

Hoje postarei somente acompanhamentos. Tenho cozinhado bastante aqui em casa, mas algumas coisas são mais “comunzinhas”, daí não sei se vocês querem ou não. Não que as receitas que posto sejam sofisticadíssimas, lógico :P

Bem, outro dia fui ao supermercado e vi um atado de espinafre lindo. Decidi comprar e ver o que poderia fazer para a Eduarda com ele que não fosse sopa ou refogado. Então, lembrei de um bolinho que minha avó fazia na versão frita e adaptei à casa. 

BOLINHO ASSADO DE ESPINAFRE
Ingredientes:
– Folhas de espinafre cortadas miúdas
–  Duas colheres de sopa de aveia
– Ovo cru
– Cebola picada
– Alho 
– Farinha integral para dar liga

Piquei a cebola, o alho e o espinafre bem miudinhos. Em uma tigela, coloquei os ingredientes junto ao ovo cru e às colheres de aveia (eu sou fã de aveia na comida da Eduarda, dá liga e ainda ajuda no trato intestinal dela). 

DSC_0519

Misturei tudo e depois acrescentei a farinha de trigo integral. Não muito, porque pode deixar duro o bolinho. Fiz bolinhas e coloquei na assadeira untada. Deixei até dourar. 

DSC_0521

DSC_0636
Pratinho de hoje: bolinhos, feijão com arroz e purêzinho de abóbora.
DSC_0648
Imagina se não gostou dos bolinhos??? hahahahha

_______________________________________
Bem, inspirada no Panelaterapia, fiz o papelote de legumes aqui em casa.  Piquei estilo julienne batata inglesa, cenoura e vagem. Temperei com orégano, óleo de milho e alho ralado. 

DSC_0517DSC_0518

Notem que o papelote está com a parte opaca do papel alumínio para fora, e é assim mesmo que se usa. Também descobri faz pouco hahahahah
Deixei no forno uns 30 minutos, mas abri e verifiquei que não estavam molinhos, então deixei mais uns 20. Chegou a dar uma queimadinha no fundo, mas nada demais. Ficou muito saboroso, “parecendo comida de hotel”, como disse o  Fábio <3 

MUITO OBRIGADA

Hoje foi a consulta de rotina da pediatra da Eduarda, a Dra. Ilcione. Ela está ótima, ganhou peso acima da média outra vez (sim, é comilona) e tudo com alimentação saudável, longe de calorias vazias (açúcar etc) e com muito leite materno. Isso que esse mês eu achei que ela não teria ganho peso o suficiente, porque ela fez uma grevezinha de fome e os dentes estão pipocando na boca. Mas a gordinha é firme e forte, boa de garfo, não nega nada! 
Quando chegamos na consulta, a dra. me mostrou uns papeizinhos que estavam na sua mesa. Eles continham o endereço do nosso blog, que ela entrega para as mães como sugestão! Gente, eu achei o máximo. Fiquei realmente muito orgulhosa. Principalmente porque essa semana eu pensei em desistir do blog e parar de escrever. Tudo por comentários anônimos (estamos de olho) de gente que acha que eu devo fazer algum mal muito grande em alimentar minha filha de uma maneira saudável e divulgar receitas. Hoje eu vi que estamos pelo caminho certo, que temos uma filha agradavelmente gordinha e que vale a pena cada hora na cozinha. Minha maior expectativa é minha princesa crescer e poder me “ajudar” com as panelas. Aí eu morro do coração!
Também quero agradecer os comentários, as sugestões de links que várias amigas minhas deixam aqui, no meu facebook… as visitas, que crescem a cada dia e dizer que, dentro do que eu puder, sempre vou tentar ajudar. Estamos em uma constante evolução e aprendizado e acredito que  em muitas coisas eu e as mães que visitam aqui precisamos bater de frente. É preciso fazer alguma revolução, engajar-se em algo que se acredita, defender suas convicções. Sejamos tolerantes umas com as outras, sim, mas mantenhamos nossas crenças. Vamos respeitar para poder exigir respeito. Vamos criar um mundo mais bonitos para nossos filhos e filhos, ensiná-los a ser respeitosos, a não gostarem de intrigas, a buscarem sempre o conhecimento e não viverem como cavalos com viseiras laterais que só podem enxergar em um sentido. Vamos abrir nossos horizontes não só para alimentação, mas para outras causas que consideramos dignas de luta. 
Hoje eu vi uma imagem na fanpage do blog Cientista que Virou Mãe e deu vontade de tatuar a frase, o desenho, tudo. Acho que ela retrata muitas mães especiais, que não se calam, que cansaram do mundo estar como está e que querem mudar de alguma forma. Que nossa mudança comece de dentro. Obrigada :)

1800388_526246634154499_1059918021_n
“Flores são encantadoras, mas eu prefiro uma revolução”