Arquivo da tag: Nutricionista

Post de retorno + A importância da amamentação

Gosto de bater nessa tecla do aleitamento materno porque parece que ainda causa espanto. Essa semana fomos viajar e, consequentemente, tivemos contato com outras pessoas que não convivem conosco. É impressionante o número de pessoas que se surpreende positivamente com o fato de Eduarda mamar no peito e não tomar nenhum outro tipo de leite. Ela está prestes a completar um ano e estamos aqui, firmes e fortes, rumo à amamentação prolongada. É bem gostoso ouvir das pessoas: “Meu deus, tu dá fermento pra essa menina?” E eu respondo: “Dou! Dou leite materno!”, toda orgulhosa!

Nessa viagem fomos visitar a família do Fábio. Interior é uma coisa muito gostosa, e se aqui Eduarda ganha couve, espinafre, abobrinha e pimentão da hortinha da vó Maria, lá ela ganhou vagem, acerola, pitanga… tudo orgânico, plantado nos fundos de casa, sem agrotóxico nenhum. Colheu acerola do pé e comia direto, encheu a pancinha. É muito gostoso ver que as pessoas reconhecem que a alimentação da Eduarda é o mais saudável possível e não tratam isso como frescura. Pelo contrário: ajudam e apoiam.

Bom, como nós fizemos bate e volta, o tempo no carro foi longo. Preparei marmitinhas para o caminho, mas era muita novidade para a Eduarda e ela fez uma grevezinha de fome. Não almoçou direito nos dois dias. Ainda bem que tem o mamá e que ela compensou quando estávamos instaladas.

Encaixando com o fato dela continuar mamando e com os últimos pavorosos estudos publicados que colocam em xeque a importância da amamentação, a nossa nutri Thamires Flores preparou um belo tratado sobre amamentação. Deixo vocês com ela!

P.S.: Tô cheia de fotos de receitinhas e não encontro tempo para atualizar. Prometo que ainda essa semana eu encho o blog de receitas outra vez!

janajoanaamamentar1

Olá!

Hoje o nosso assunto vai ser os benefícios do aleitamento materno. É eu sei que todo mundo discute esse tema, porém, é um assunto que vale ser discutido e rediscutido muita vezes, afinal mesmo com todas as evidências da superioridade do aleitamento materno, as taxas ainda estão abaixo do recomendado pelos órgãos responsáveis.

Qual a importância do aleitamento materno para a dupla mãe e bebê?  Abaixo alguns dos benefícios que ele trás não somente para o bebê, mas também para a mãe. Surpresos?Muitas mulheres não sabem, mas amamentar também trás benefícios para quem amamenta.  Então, chega de enrolar e vamos para os benefícios do aleitamento materno.

atahensic1-300x231

Evita diarreias:Há evidências de que o aleitamento materno oferece proteção contra diarreia.  Vale ressaltar que essa proteção diminui quando o aleitamento deixa de ser exclusivo. Oferecer ao bebê chás e água pode dobrar as chances de diarreia.

Evita infecções respiratórias:Segundo estudos o aleitamento materno diminui os riscos de infecção respiratória, principalmente nos 6 primeiros meses de vida.

Diminui os riscos de alergia: Estudos mostram que aleitamento materno diminui os riscos de alergia à proteína do leite de vaca, dermatite atópica, e outros tipos de alergias incluindoa asma.

Diminui os riscos de hipertensão, diabetes e colesterol alto:Há evidências de que o aleitamento materno apresente benefícios em longo prazo. Segundo uma revisão apresentada pela OMS, 2007 as crianças amamentadas apresentaram pressão arterial mais baixa, níveis menores de colesterol total e risco 37% menor de apresentar Diabetes tipo 2.  Não só o bebê que mama diminui os riscos de DM tipo 2, como também a mãe (15% a menos de chances de desenvolver a doença).

Reduz as chances de obesidade: A maioria dos estudos que avaliaram a relação entre a obesidade em crianças maiores de três anos e o tipo de alimentação nos primeiros anos de vida constatou menor frequência de sobrepeso/obesidade em crianças que receberam aleitamento materno.  Entre os mecanismos envolvidos nessa proteção está o melhor desenvolvimento da autorregularão da ingestão dos alimentos e a composição do leite materno participando do processo de programação metabólica.

Melhor Nutrição: O leite materno possui todos os nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento da criança, além de ser mais bemdigerido quando comparado aos outros leites.  É capaz de suprir sozinho as necessidades nutricionais do bebê nos 6 primeiros meses de vida, e continua sendo uma fonte importante de nutrientes até o segundo ano.

Efeito positivo na inteligência: Segundo estudos o aleitamento materno melhora o desenvolvimento cognitivo.

gordinha repousando na viagem depois de mamar litros e litros :)
gordinha repousando na viagem depois de mamar litros e litros :)

Melhor desenvolvimento na cavidade oral: O movimento que a criança faz para sugar o leite da mama é importante para o desenvolvimento adequado da cavidade oral.

Diminui as chances de desenvolvimento de Câncer de mama: Já está bem estabelecida a associação entre aleitamento materno e redução do câncer de mama. Segundo estudos para cada 12 meses de duração da amamentação os riscos de desenvolver a doença diminuem em 4,3%.

Promoção do vínculo afetivo entre mãe e filho: a amamentação prazerosa, os olhos nos olhos e o contato contínuo entre a mãe e o bebê fortalecem os laços afetivos, oportunizando a troca de afeto, o sentimento de segurança e proteção na criança e de autoconfiança e realização na mãe.

Esses são bons motivos para incentivar o aleitamento materno.

Beijinhos e até o próximo Post

539001_370196176382494_744758172_nA Thamires Flores é formada pela Unifra, de Santa Maria, especialista em Gestão e Atenção Hospitalar com ênfase em Hemato-Oncologia. Mas a gente vai fazer ela se apaixonar por nutrição infantil :)
CRN2 11004

Página no Facebook: Thamires Flores Nutricionista e Personal Diet

Anúncios

Surpresinha: Participação Especial de Nutricionista \o/

Quando eu comecei o Pãozinho à Mesa, eu mal tinha intenção. Só queria colocar os pratos que eu faço para a minha filhota e talvez dar um norte para as mães que não sabem o que cozinhar. Me considero muito privilegiada por ter acesso à um tipo de informação que a maioria não tem. Conto com uma excelente pediatra para a minha filha, com um namorado participativo como companheiro e como pai, com informações que chegam até mim ou que eu vou atrás, com recursos para buscar em sites, livros, matérias, algo que sane minhas dúvidas quanto à criação da Eduarda. Principalmente, me considero privilegiada por gostar de aprender e ter o benefício da dúvida. Logicamente, filhos não vêm com cartilhas e nossa vida não segue uma rotina certinha. Não somos um comercial de margarina, a bem da verdade, tem dias que as coisas dão errado, que o bolinho fica duro, que o bebê não quer comer, que a coisa é na correria, que a casa está uma confusão. Mas vamos indo, aos trancos e barrancos às vezes, é verdade, mas felizes de termos um ao outro.

Privilegiada sou também por ter ao meu redor pessoas que gostem de repassar seus conhecimentos. “Conheço” a Thamires por ela ser esposa do meu colega de redação, o Ulisses (beijo, gente). Sei que ela é batalhadora, que tem seu  próprio consultório e que gosta de se atualizar. Thamires é uma nutricionista “fresquinha”, formada há pouco e que por isso ainda tem o viço de mudar o mundo que eu tenho hahahaha. Convidei ela há umas duas semanas para participar do blog com algumas dicas de nutrição. Acho importante eu não ficar somente papagaiando aqui sobre fornecer uma alimentação saudável às crianças e não ter um embasamento teórico hahaha

Copio aqui o texto que a Thamires me enviou. Espero que curtam a participação dela, que também se disponibilizou para sanar dúvidas (tá chique esse blog!)

Beijos a todas e hoje não tem receita, só amanhã :D

Olá, eu sou Thamires Flores, nutricionista na cidade Carlos Barbosa, RS. Apaixonada pela nutrição. Tenho imenso prazer em começar a contribuir com dicas sobre alimentação para as mamães, papais, cuidadores ou aqueles que simplesmente acompanham o Blog. Aproveitando agradeço o convite da Raquel para colaborar com este espaço e espero que gostem das Dicas de Nutrição, que estarei postando com todo carinho para vocês.

A chegada de um bebê é acompanhada de muitas descobertas, surpresas e dúvidas para os pais, cuidadores, enfim para quem convive e cuida do recém-nascido. A nutrição é, sem dúvida, um desses fatores geradores de incertezas.  Qual mãe, pai, familiar ou cuidador não quer oferecer uma alimentação de qualidade para seu bebê?  Certamente, todos querem o melhor para seus filhos, principalmente nessa fase onde a nutrição adequada é tão fundamental. Pensando nisso, para tentar esclarecer as dúvidas referentes à alimentação infantil, estarei postando algumas dicas.

O meu primeiro post não poderia ser diferente, os 10 passos para alimentação de crianças menores de dois anos. São 10 dicas simples que norteiam o cuidado com a alimentação das crianças.

Dez passos para alimentação Saudável de menores de 2 anos de idade

1-      Dar somente leite materno até os 6 meses, sem oferecer água, chás ou qualquer outro alimento (Salvo exceções, por indicação médica ).

2-       A partir dos seis meses introduzir de maneira lenta e gradual os alimentos, mantendo o aleitamento materno até os dois anos ou mais.

3-      Após os 6 meses , oferecer alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas, frutas, legumes), três vezes ao dia, se a criança estiver recebendo o leite materno. Caso não esteja deve receber cinco vezes ao dia.

4-      A alimentação complementar deve ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando sempre a vontade de criança.

5-      A alimentação complementar deve ser espessa desde o inicio e oferecida com colher; começar com consistência pasto (papas, purês)e, gradativamente, evoluir a consistência até chegar à alimentação da família.

6-      Oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação variada e colorida.

7-      Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições.

8-      Evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação.

9-      Cuidar a higiene no preparo e manuseio dos alimentos; garantir o armazenamento e a conservação adequados.

10-   Estimular a criança quando doente a se alimentar, oferecendo sua alimentação habitual e seus alimentos preferidos respeitando a sua aceitação.

Os dez passos para alimentação saudável são preconizados pela Sociedade Brasileira de Pediatria, Ministérios da Saúde, dentre outros órgãos competentes.

Essas são dicas são fundamentais para cuidar da alimentação das crianças menores de 2 anos. Lembrando que uma alimentação saudável nessa etapa da vida é de suma importância  para o crescimento e desenvolvimento adequado do seu bebê.

Bom pessoal, por hoje é isso e até a próxima dica.

ImagemA Thamires Flores é formada pela Unifra, de Santa Maria, especialista em Gestão e Atenção Hospitalar com ênfase em Hemato-Oncologia. Mas a gente vai fazer ela se apaixonar por nutrição infantil :)
CRN2 11004
Página no Facebook: Thamires Flores Nutricionista e Personal Diet