Arquivo da tag: abóbora

Bolinho de carne com queijo Minas

Eu não sei como chamar essa receita, só sei que a Eduarda aprovou. A ideia inicial era um quibe, que vi no Delícias do Dudu mas não encontro aqui na cidade a farinha específica.  Então, me inspirei.

Você vai precisar de:
– 200gr de carne moída;

– ovo;
– alho;
– tomate;
– temperos diversos (usei salsinha só);
– pitadinha de sal;
– uma xícara de gérmen de trigo;
– queijo minas frescal

DSC_2762Mais simples de fazer, impossível:

1. Bata o ovo e misture à carne moída
DSC_27632. Pique a cebola, o alho, o tomate e os temperinhos grosseiramente e misture. Eu ainda coloquei suco de meio limão, além da pitadinha de sal. A intuição mandou hahahah
DSC_27643. Depois de misturado, acrescente o gérmen de trigo
DSC_27654. Misturei e abri na mão. Coloquei um pedaço de queijo Minas Frescal
DSC_2766
5. Fechei e levei ao forno até que ficasse dourado, cerca de 30 min (tem que prestar bem atenção para não deixar a carne crua). Forno a 180°C
DSC_2775
Preparei a marmitinha da Eduarda com purê de abóbora, arroz branco, feijão preto e o bolinho :D

DSC_2776E, sim, ela come tudo isso. O limão deixou com um gostinho bem especial, eu adorei (comi um haahahha).

Torta laranja de peixe

Ontem foi um dia de muito forno e fogão. Ou melhor, noite. Desconfio que Eduarda esteja entrando em alguma fase na qual o apetite esteja sendo afetado. Se é pico de crescimento, se são novos dentes, ainda não descobri. Mas, enquanto não sei a real causa, vou testando novas receitas para que ela volte a comer almoço e janta direitinho.

Decidi experimentar uma torta de forno para toda a família. Fui inventando, lá vai.

Torta:
– Meia moranga
– Três batatas inglesas (I very well mister you)
– Um ovo
– Pitadinha de sal

Recheio:
– Peixe (uso pescada do alasca)
– Cebola
– Alho poró
– Salsinha
– Tomate

Primeiro, preparei o recheio: Refoguei o alho, a cebola e o tomate. Soltei o peixe e a salsinha. Deixei cozinhar bem, até secar toda a água (que sai do peixe, não precisa acrescentar nada). Reservei. Enquanto isso, pré-aquecia o forno a 180°C

Cozinhei a moranga e as batatas. Escorri a água:

Imagem

Tirei a casca da moranga, amassei junto com as batatas, como se fosse para fazer purê, mesmo. Misturei um ovo cru e uma pitadinha de sal.

Imagem
Forrei uma forma com uma camada do purê
Imagem
Coloquei o recheio
Imagem

Cobri com a outra camada e coloquei queijo parmesão ralado por cima. (Para servir pra gorda Eduarda, tirei o queijo)
Imagem
Levei ao forno até dourar (sempre vou cuidando, já disse que não me dou bem com timer)
Imagem

Servi com a minha lentilha “turbinada”. Não tenho foto do pratinho porque ela almoçou na Tata dela hoje. Mas os potinhos voltaram vazios \o/

Fígado de galinha com abóbora + frozen yogurt para a tarde

Ah, o fígado. Tão amado e odiado e polêmico. Apesar de nutritivo, é um órgão que filtra as impurezas do corpo – e no caso de aves e bovinos, absorve hormônios e antibióticos. Por isso, é importante verificar a procedência e por isso mesmo eu comecei a dar fígado há pouco tempo para a Eduarda. Convenhamos que é difícil achar um frango que não seja “bombado” ou caipira, principalmente quando se mora na cidade. Eu optei por não privar a Eduarda de receber certos nutrientes presentes no fígado, então eu dou com moderação.

Hoje eu fiz para o almoço fígado com purê de abóbora e batata e lentilha pra acompanhar. Costumo fazer a lentilha em maior quantidade e congelar em pequenas porções, assim como o feijão. Dessa forma, uso como acompanhamento em vários pratos.

Fígado com purê de abóbora:

Ingredientes:

– Alho
– Cebola
– Tomate
– Salsinha
– Fígado de galinha

Refoguei o alho e a cebola. Esperei dourar, coloquei a salsinha e o tomate. Coloquei o fígado, um pouquinho de sal* e água. Deixei 15 minutos na pressão.
(*Como estou adaptando aos poucos o cardápio da Eduarda ao da casa, coloco uma pitadinha de sal. Coisa muito pouca, tipo metade de uma colher de chá).

O purê de abóbora e batata é muito simples: cozinhei os ingredientes com duas folhas de manjericão para dar outro gostinho. Amassei para servir.

Descongelei a lentilha no fogo e montei o pratinho:

Imagem
Coloquei um pepino, mas Eduarda não deu muita bola :P

Eduarda comeu uma bergamota + mamá de sobremesa, mamou bastante e dormiu a sonequinha da tarde. Antes de colocar ela pra dormir, decidi adiantar o lanchinho dela. Hoje ela provou um frozen yogurt caseiro de manga. Piquei uma manga bem madura em pedaços e deixei no congelador. Deixei o iogurte natural bem gelado. Enquanto ela dormia (e eu também kkk), a manga congelava.

Ao contrário do que muita gente pensa, o iogurte pode ser ofertado para bebês de 6 a 12 meses. Mas é importante que seja o iogurte natural, sem açúcar e conservantes (e se possível, caseiro, mas como eu não tenho esse dom ainda, compro o natural), batido com uma fruta, ou junto com um sorvetinho ou ainda na salada de frutas do bebê. Também não deve ser oferecido logo após o almoço ou a janta,já que o cálcio presente nele dificulta a absorção de ferro – e aí vem a anemia.

Mais do que isso, é importante frisar: danoninho, chambinho, esses “inhos” da vida, NÃO SÃO IOGURTE e muito menos indicados para bebês. Possuem corantes, açúcar e o que menos tem é fruta. Eles são recomendados para crianças a partir de quatro anos. Aqui nesse blog que eu amo, o Delícias do Dudu, tem um texto bem legal sobre o danoninho-lixinho. :P

Imagem
Manga já congelada e iogurte natural da batavo

Quando Eduarda acordou, bati a manga com duas colheres de sopa cheias de iogurte no mixer. Ficou bem bonito  e geladinho.

Nova Imagem de Bitmap
Olha a carinha de satisfação <3

Creme de abóbora com aveia

Decidi experimentar essa receita de maneira que pudesse servir fria para a minha pequena. O calor segue de matar e ela não almoçou direito hoje. Então, “engrossei” a janta com um creme delicioso que nós duas adoramos. E funcionou muito bem servido frio!
Ressalto aqui: Sempre dê alimentos em pedaços para o seu bebê. Variar texturas é legal, mas não faça com que a consistência pastosa se torne um hábito!
Feito o alerta (para não deixar brechas, sempre tem alguém que implica hahahah), vamos à receita:

Ingredientes:
*Abóbora
*Batata inglesa
*Nabo
*Uma folha de couve-manteiga
*Cenoura
*Milho
*Aveia
*Trio Tomate, alho-poró e cebola
*Folhas de louro ou manjericão
*Salsinha

Refoguei o trio em um fio de azeite. Deixei dourar e acrescentei a abóbora, a batata, o nabo, a cenoura, a couve, o milho e as folhas de louro. Acrescentei água, tampei a panela e deixei cozinhar em fogo baixo. Quando tudo estava cozido, acrescentei aveia e deixei cozinhar mais dez minutos.
Retirei do fogo e retirei as folhas de louro. Triturei os ingredientes e salpiquei com salsinha. Esperei esfriar e servi pra Eduarda. Ela comeu, mas acho que se estivesse menos calor, comeria mais… Em compensação, mamou muito antes e depois da janta :)

20140207-214507.jpg

Risotinho de peixe com lentilha

Gente, muito obrigada pelas visitas. Nunca imaginei que ia “bombar” assim! hahahahhaa

Cardápio de hoje (repetindo o almoço de sábado passado, porque Eduarda amou): Risotinho de peixe com lentilha para acompanhar.

RISOTINHO DE PEIXE
Ingredientes
– Filé de peixe sem espinhos (eu uso filé de pescada do alasca ou anjo)
– Cebola
– Alho poró
– Tomate
– Folha de Sálvia
– Arroz

Refoguei o alho-poró, a cebola e o tomate em um fio de azeite de oliva para cozimento (a acidez deve ser abaixo de 0,5%). Quando tudo estava douradinho, acrescentei o peixe. Fui mexendo para dourar sem queimar. Ele se desmancha sozinho. Acrescentei água, arroz e uma folha de sálvia, para dar um gostinho (quando servir, retirar a folha).

Lentilha:
Sempre deixo de molho em meio ácido no dia anterior, para facilitar o cozimento e retirar os anti nutrientes.

Ingredientes:
– Cebola
– Tomate
– Alho poró
– Lentilha
– Abóbora em cubos

Refoguei o trio cebola+tomate+alho como na receita do risotinho. Acrescentei lentilha, abóbora, água e deixei 10 minutos na pressão. Gosto da abóbora para dar um gostinho e deixar o caldo um pouco mais grosso. Eduarda ama :)