Panquecas de couve com aveia

Gente, estou passando por um perrengue com Eduarda. Daqui a dez dias ela completa um ano e o apetite dela mudou completamente. Isso, mais a amigdalite que ela pegou no sábado, tem me deixado a ponto de arrancar os cabelos. Haja criatividade, leite materno e muita, mas muita paciência para não se desesperar com o fato dela estar comendo a metade do que comia. 

Essa semana quis fazer algo diferente para ela almoçar e jantar. Usei umas folhas de couve que eu tinha congeladas e bolei uma panquequinha do Hulk hahahahaha 

PANQUECAS VERDES DA EDUARDA
Ingredientes para a massa:
– 2 ovos
– 1 xícara de farinha integral
– meia xícara de aveia em flocos
– uma xícara de leite
– uma colherinha de café de sal
– 3 folhas de couve

Coloquei todos os ingredientes no liqui e bati bem

photo3
 Depois, em uma frigideira anti aderente, despejei uma conchinha da massa, feito panqueca, mesmo 
photo4

ó que amor que ficou
ó que amor que ficou

Depois, fiz o recheio… 
Refoguei alho e cebola com um pouquinho de carne moída, cenoura ralada e salsinha. Com o recheio pronto, enrolei as panquequinhas. Acompanhou arroz branco e purê de abóbora com orégano e leite de coco. :)

Para o purê: Cozinhei abóbora com orégano. Depois, amassei e coloquei uma colherzinha de café de leite de coco. Eduarda adora!

photo6Rendeu quatro panquecas! 

Anúncios

Smash the Healthy Cake!!

Jesus, quanta poeira em um blog só!

Juro que continuo cozinhando e tenho até fotos de receitas para postar, mas está difícil. Eduarda está crescendo, engatinha, se arrasta, fica em pé segurando nos móveis, cai… Tem deixado a mamãe aqui quase sem coluna, principalmente por toda a gostosura saudável da pequena, com 10,2kg de pancinha e dobrinhas! Coisa mais linda do mundo!
Além disso, temos os preparativos para a chegada do primeiro aniversário da pequena, que completa um aninho no dia 2 de abril. Parece que foi ontem que aquela coisinha pitinininha chegou ao mundo, deixando a minha vida com outro sentido….

Um desses preparativos é o lindíssimo ensaio “Smash the cake”, onde o bebê estraçalha o bolo de aniversário para marcar a chegada de seus primeiros 365 dias. Aí vocês pensam: “Mas a Raquel tá louca da vodka a essa hora, liberando bolo doce assim pra Eduarda, sem mais nem menos”.
E eu digo: NÃAAAAAAAAAAO, NÃO ESTOU hahahha.

Quebrei muito a cabeça para fazer um bolo para o ensaio. Todo mundo me dizia: “Não, mas nem te preocupa que eles não comem o bolo! Só amassam!”. Como se eu não conhecesse a minha draguinha… eu tinha CERTEZA que ela iria comer nem que seja um pedaço. E eu estava certa.

Catei milhares de receitas e decidi fazer um naked cake. Até porque a Eduarda nunca tinha comido nada que não fossem frutas, o bolo de iogurte e os cookies de banana com aveia. Algo diferente disso não iria chamar a atenção dela. Eu precisava de frutas e de cara de bolo. Porque bagunça só com frutas ela faz o dia inteiro, e está tudo documentado. Eu queria algo que não abrisse mão dessa nova tradição mas que fosse saudável. Porque não me agrada a ideia de com um ano “liberar tudo”.

O ensaio foi no dia 15, um sábado pela manhã. No dia 14, sexta-feira, mamãe ficou até 2h da manhã na cozinha para fazer a massa do bolo, que foi montado na manhã seguinte.

Fiz uma massa de pão de ló, receita adaptada.

INGREDIENTES:

4 gemas de ovo
4 claras de ovo em neve
1 xícaras de chá de farinha de trigo
1 xícaras de chá de farinha integral
1 xícara de açúcar mascavo
1 colher (sopa) de fermento químico em pó
1 xícara de chá de Água fervente

USAR BATEDEIRA PRA NÃO MORRER DE CANSAÇO E SEM UM BRAÇO!

Bati as gemas com a água fervente até a espuma subir bastante, chegando nas bordas. Acrescentei o açúcar mascavo e bati mais um pouco. Com a batedeira ainda ligada, juntei a farinha integral e a de trigo aos poucos e deixei bater por + ou – 20 minutos. Tem que bater tudo isso, senão não dá certo, ok?
Desliguei a batedeira, coitada, e misturei as claras batidas em neve e o fermento com movimentos suaves. Despejei em uma assadeira redonda sem furo no meio, untada com manteiga (MANTEIGA, NÃO MARGARINA) e polvilhada de farinha…
Antes de colocar no forno eu dei umas batidinhas na assadeira com a massa contra a mesa. Assim, as bolhas de ar desmancham e não se corre o risco de quebrar o bolo quando desenformar.
Assei em forno quente (250°C) nos primeiros dez minutos e depois em forno médio (180°C) por mais 20. Desenformei ainda morno.

Fiz o processo duas vezes, para que o bolo tivesse duas camadas.

Com as partes do bolo feitas, parti pro recheio.

INGREDIENTES:
Dois potes de iogurte natural sem açúcar e sem sabor
Duas bandeijas de morangos
Dois potinhos de mirtilos
Algumas unidades de acerola.

Despejei um pote de iogurte natural no bolo e coloquei os morangos fatiados e os mirtilos. Coloquei alguns morangos em pé e coloquei a outra camada do bolo. Fiz o mesmo processo para a “cobertura”: um pote de iogurte e as frutas.

Obviamente, Eduarda devorou o iogurte, as frutas, pedaços da massa. O ensaio ficou lindo e eu não tive dores de cabeça.

IMG_3652

 

 

Post de retorno + A importância da amamentação

Gosto de bater nessa tecla do aleitamento materno porque parece que ainda causa espanto. Essa semana fomos viajar e, consequentemente, tivemos contato com outras pessoas que não convivem conosco. É impressionante o número de pessoas que se surpreende positivamente com o fato de Eduarda mamar no peito e não tomar nenhum outro tipo de leite. Ela está prestes a completar um ano e estamos aqui, firmes e fortes, rumo à amamentação prolongada. É bem gostoso ouvir das pessoas: “Meu deus, tu dá fermento pra essa menina?” E eu respondo: “Dou! Dou leite materno!”, toda orgulhosa!

Nessa viagem fomos visitar a família do Fábio. Interior é uma coisa muito gostosa, e se aqui Eduarda ganha couve, espinafre, abobrinha e pimentão da hortinha da vó Maria, lá ela ganhou vagem, acerola, pitanga… tudo orgânico, plantado nos fundos de casa, sem agrotóxico nenhum. Colheu acerola do pé e comia direto, encheu a pancinha. É muito gostoso ver que as pessoas reconhecem que a alimentação da Eduarda é o mais saudável possível e não tratam isso como frescura. Pelo contrário: ajudam e apoiam.

Bom, como nós fizemos bate e volta, o tempo no carro foi longo. Preparei marmitinhas para o caminho, mas era muita novidade para a Eduarda e ela fez uma grevezinha de fome. Não almoçou direito nos dois dias. Ainda bem que tem o mamá e que ela compensou quando estávamos instaladas.

Encaixando com o fato dela continuar mamando e com os últimos pavorosos estudos publicados que colocam em xeque a importância da amamentação, a nossa nutri Thamires Flores preparou um belo tratado sobre amamentação. Deixo vocês com ela!

P.S.: Tô cheia de fotos de receitinhas e não encontro tempo para atualizar. Prometo que ainda essa semana eu encho o blog de receitas outra vez!

janajoanaamamentar1

Olá!

Hoje o nosso assunto vai ser os benefícios do aleitamento materno. É eu sei que todo mundo discute esse tema, porém, é um assunto que vale ser discutido e rediscutido muita vezes, afinal mesmo com todas as evidências da superioridade do aleitamento materno, as taxas ainda estão abaixo do recomendado pelos órgãos responsáveis.

Qual a importância do aleitamento materno para a dupla mãe e bebê?  Abaixo alguns dos benefícios que ele trás não somente para o bebê, mas também para a mãe. Surpresos?Muitas mulheres não sabem, mas amamentar também trás benefícios para quem amamenta.  Então, chega de enrolar e vamos para os benefícios do aleitamento materno.

atahensic1-300x231

Evita diarreias:Há evidências de que o aleitamento materno oferece proteção contra diarreia.  Vale ressaltar que essa proteção diminui quando o aleitamento deixa de ser exclusivo. Oferecer ao bebê chás e água pode dobrar as chances de diarreia.

Evita infecções respiratórias:Segundo estudos o aleitamento materno diminui os riscos de infecção respiratória, principalmente nos 6 primeiros meses de vida.

Diminui os riscos de alergia: Estudos mostram que aleitamento materno diminui os riscos de alergia à proteína do leite de vaca, dermatite atópica, e outros tipos de alergias incluindoa asma.

Diminui os riscos de hipertensão, diabetes e colesterol alto:Há evidências de que o aleitamento materno apresente benefícios em longo prazo. Segundo uma revisão apresentada pela OMS, 2007 as crianças amamentadas apresentaram pressão arterial mais baixa, níveis menores de colesterol total e risco 37% menor de apresentar Diabetes tipo 2.  Não só o bebê que mama diminui os riscos de DM tipo 2, como também a mãe (15% a menos de chances de desenvolver a doença).

Reduz as chances de obesidade: A maioria dos estudos que avaliaram a relação entre a obesidade em crianças maiores de três anos e o tipo de alimentação nos primeiros anos de vida constatou menor frequência de sobrepeso/obesidade em crianças que receberam aleitamento materno.  Entre os mecanismos envolvidos nessa proteção está o melhor desenvolvimento da autorregularão da ingestão dos alimentos e a composição do leite materno participando do processo de programação metabólica.

Melhor Nutrição: O leite materno possui todos os nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento da criança, além de ser mais bemdigerido quando comparado aos outros leites.  É capaz de suprir sozinho as necessidades nutricionais do bebê nos 6 primeiros meses de vida, e continua sendo uma fonte importante de nutrientes até o segundo ano.

Efeito positivo na inteligência: Segundo estudos o aleitamento materno melhora o desenvolvimento cognitivo.

gordinha repousando na viagem depois de mamar litros e litros :)
gordinha repousando na viagem depois de mamar litros e litros :)

Melhor desenvolvimento na cavidade oral: O movimento que a criança faz para sugar o leite da mama é importante para o desenvolvimento adequado da cavidade oral.

Diminui as chances de desenvolvimento de Câncer de mama: Já está bem estabelecida a associação entre aleitamento materno e redução do câncer de mama. Segundo estudos para cada 12 meses de duração da amamentação os riscos de desenvolver a doença diminuem em 4,3%.

Promoção do vínculo afetivo entre mãe e filho: a amamentação prazerosa, os olhos nos olhos e o contato contínuo entre a mãe e o bebê fortalecem os laços afetivos, oportunizando a troca de afeto, o sentimento de segurança e proteção na criança e de autoconfiança e realização na mãe.

Esses são bons motivos para incentivar o aleitamento materno.

Beijinhos e até o próximo Post

539001_370196176382494_744758172_nA Thamires Flores é formada pela Unifra, de Santa Maria, especialista em Gestão e Atenção Hospitalar com ênfase em Hemato-Oncologia. Mas a gente vai fazer ela se apaixonar por nutrição infantil :)
CRN2 11004

Página no Facebook: Thamires Flores Nutricionista e Personal Diet